Escala de Apgar: entenda a nota dada aos bebês nos primeiros minutos de vida

23 de outubro de 2020

O índice de Apgar ou escala de Apgar é um teste realizado pelos pediatras duas vezes no bebê recém-nascido: uma no primeiro minuto de vida e outra no quinto, servindo como uma avaliação da vitalidade da criança. 

Desenvolvido nos anos 1950, nos Estados Unidos, pela Dra. Virginia Apgar, o teste se popularizou por ser um método fácil e confiável para determinar os primeiros procedimentos com o recém-nascido. São analisados cinco itens no exame: frequência cardíaca, respiração, tônus muscular, irritabilidade reflexa e cor da pele. 

Segundo a pediatra Kallydya Fonseca, da Clínica Doutora Kaka, a escala serve de avaliação para saber se a criança precisa de assistência médica imediata, como reanimação, por exemplo. Ainda de acordo com a especialista, em cada item analisado, são dadas notas de 0 a 2 (conforme a tabela abaixo). 

 “A melhor nota geral está entre 8 e 10, o que significa que aquele bebê não passou por asfixia perinatal. Entre 6 e 7 significa que ele passou por uma asfixia leve, já entre 3 e 5, uma asfixia moderada e, de 0 a 3, asfixia grave. Geralmente esses bebês nascem em morte aparente e precisam passar pelo processo de reanimação“, explica.

Em casos mais graves, Dra. Kallydya diz que o procedimento mais comum é a reanimação neonatal, iniciando com VPP (ventilação com pressão positiva), depois oxigênio associado, intubação, massagem cardíaca e drogas vasoativas, caso necessário. 

Por isso, ainda segundo a pediatra, para que os bebês cheguem com “boas notas“, é importante que as mães mantenham uma gravidez saudável, mas fatores inerentes ao parto e ao pós parto são os que vão definir a saúde do recém-nascido nesses primeiros momentos de vida. 

Tags

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.