Triagem Neonatal: conheça os exames feitos nos bebês logo nos primeiros dias de vida

29 de janeiro de 2021

O nascimento de um bebê gera muita expectativa, preocupação e, principalmente, felicidade. Para que ele tenha uma vida saudável, alguns exames precisam ser feitos como primeiro passo para identificar algumas doenças de nascença que são tratáveis quando diagnosticadas precocemente.

Segundo a pediatra Dra. Kelly Oliveira, o teste do pezinho, da orelhinha, do coraçãozinho, da linguinha e do olhinho são os primeiros exames realizados pouco tempo depois do nascimento da criança. “Esses são exames muito importantes para detectar doenças que são assintomáticas e que quando não são diagnosticadas podem fazer toda a diferença no desenvolvimento, ou podem causar complicações graves”, explica.

Ainda de acordo com a Dra. Kelly, o teste da orelhinha faz uma triagem auditiva neonatal, o do coraçãozinho identifica anormalidades cardíacas, o da linguinha serve para descobrir se há uma possível dificuldade na amamentação, o do olhinho identifica alterações oculares precocemente e o teste do pezinho básico, realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), pode diagnosticar seis doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, fibrose cística, anemia falciforme, hiperplasia adrenal congênita e deficiência de biotinidase.

Além disso, a especialista também cita o teste do pezinho ampliado, que atualmente está disponível apenas em alguns locais pela rede pública, como na cidade de São Paulo e no Distrito Federal, e em alguns laboratórios particulares do Brasil. “O exame do SUS, no geral, só dá o diagnóstico dessas seis doenças, que são mais prevalentes, mas também existem outras doenças graves que só são identificadas através do teste ampliado”, diz.

A Dra. Kelly lembra que, infelizmente, muitas pessoas não têm condições de pagar para realizarem o teste do pezinho ampliado e por isso seria importante que o exame chegasse à rede pública de saúde de todo o país. Além disso, ela orienta que os pais realizem todos os exames e cobrem pelos resultados. 

 

Pezinho no Futuro

 

A campanha Pezinho no Futuro, organizada pelo Instituto Vidas Raras, luta para mudar essa realidade, garantindo o Teste do Pezinho Ampliado para todos os bebês do Brasil. Além da cidade de São Paulo e do Distrito Federal, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraíba e o município de Itápolis-SP aprovaram leis para ampliação do Teste do Pezinho na rede pública de saúde e estão em processo de regulamentação para começarem a realizar gratuitamente o exame mais completo nos recém-nascidos.

Abrace  essa causa para que todos os bebês do Brasil tenham direito e acesso ao diagnóstico precoce mais completo gratuito, com uma assinatura no documento on-line, por meio do formulário disponível no site: www.pezinhonofuturo.com.br. Clique para saber mais e participe!

 

Como os exames de triagem neonatal são feitos?

 

 

 

Teste do pezinho: Uma amostra de sangue, geralmente retirada do pezinho do bebê, é colhida por uma enfermeira em papel filtro especial e levada para um laboratório de análises.

 

 

Teste da orelhinha: Feito por um fonoaudiólogo, é colocado um aparelho que propaga ruídos nas orelhas do bebê para avaliar se há respostas ou não da criança, mas por ser um exame de triagem, podem ser necessárias repetições ou testes mais avançados.

 

 

Teste do olhinho: Realizado pelo pediatra e com o auxílio de um oftalmoscópio, o exame consiste em identificar no fundo dos olhinhos do bebê se as veias estão com tons vermelhos ou brancos. Em caso de veias brancas, pode ser um sinal de que há alterações e um oftalmologista deve ser acionado para testes mais elaborados. 

 

 

Teste da linguinha: O teste da linguinha também é realizado por um fonoaudiólogo e são avaliadas as movimentações da língua, elevação e se há alterações na anatomia. O teste pode identificar um frênulo lingual curto (a famosa língua presa) que pode atrapalhar a amamentação.

 

 

Teste do coraçãozinho: Um oxímetro é colocado na mãozinha direita e no pezinho direito do bebê para avaliar a saturação. Em caso de diferenças do padrão, é necessária a avaliação de um cardiologista.

 

 

Para mais informações com a Dra. Kelly Oliveira, é possível encontrá-la em seu blog: www.pediatriadescomplicada.com.br , redes sociais ou em seu canal no YouTube: https://youtube.com/c/PediatriaDescomplicadacomDraKelly 

Tags

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.