Pressão alta na gravidez? Fique de olho na Pré-Eclâmpsia

17 de março de 2017

Pressão alta na gravidez pode evoluir para a temida pré-eclâmpsia

Fiquem atentas ao seu pré-natal, principalmente as gestantes de primeira viagem pois alguns sintomas e complicações podem acabar passando despercebidos. Um exemplo é a pressão alta na gravidez, ela surge quando a pressão arterial está acima de 140/90 mmHg, podendo surpreender até mulheres que nunca tiveram esse problema.

Riscos da pressão alta

Um dos principais riscos relacionados ao surgimento da pressão alta na gravidez é que esse estado pode evoluir para a pré-eclâmpsia. A doença se manifesta em decorrência da alta pressão arterial a partir da 20ª semana de gravidez. Porém, com o acompanhamento médico adequado, a pré-eclâmpsia desaparece depois de 12 semanas após o parto. Entretanto, sem tratamento ela favorece a eclampsia, um tipo de convulsão gestacional que pode matar mãe e bebê! Leia mais sobre o assunto em nosso artigo sobre a Pré-eclâmpsia.

Dados dos últimos anos apontam um índice em que 5% gestantes brasileiras desenvolveram doenças decorrentes da hipertensão arterial. Em material divulgado pelo Jornal Europeu de Obstetrícia e Ginecologia (2016) dessas mulheres 0,6% sofreram a eclampsia.

No ano de 2012 aproximadamente 40% das mortes relatadas foram em fator de doenças na gestação relacionadas a pressão alta. Por isso toda atenção é necessária nesse período e é nosso objetivo mantê-las informadas! Leia mais a seguir sobre a pressão alta. 😉

Quais as causas da pressão alta?

A incidência de aumento da pressão arterial é elevada devido as diversas modificações no corpo da mulher ao estar em gestação. Por exemplo,  o aumento no volume de sangue em seu corpo pode atingir até 1 litro adicional! Todo esse sangue necessita ser bombeado pelo coração. Ou seja, esse crescimento no trabalho do sistema sanguíneo contribui para o surgimento de complicações relacionadas a pressão arterial.

Destacamos como as principais causas para o aparecimento da pressão-alta na gravidez:

  • Tendências hereditárias
  • Antecedentes de pressão-alta
  • Aumento de peso
  • Stress excessivo

Sintomas da pressão-alta na gestação

  • Pressão arterial acima de 140/90 mmHg
  • Dores de cabeça frequentes
  • Visão embaçada e sensibilidade a luz
  • Dores abdominais
  • Inchaço em locais específicos (pés, pernas)
  • Espuma na urina

Como evitar? 

Para manter sua pressão normalizada e evitar maiores transtornos na gestação, aconselhamos estar frequentemente comparecendo em consultas de pré-natal. Dessa forma, seguindo as recomendações médicas, outros hábitos que podem auxiliar é sempre ficar atenta à sua dieta, evitando sal e bebendo bastante líquido. Também é importante realizar uma verificação periódica do peso para saber se o aumento de sua massa não é superior ao esperado durante a gestação.


Veja mais sobre a saúde gestacional em: Eclâmpsia x Pré-Eclâmpsia: entenda

Para outras informações sobre saúde gestacional e neonatal é só continuar acompanhando o nosso portal Mãe que Ama.

Curta nossa página no Facebook e nos siga no Instagram! 😉

4 comentários
  • Thiara

    Poderia explicar como uma paciente que nunca teve histórico de pressão alta pode chegar a ter Síndrome de HELLP? E como perceber o diagnóstico?
    Estava com 31 semanas há um mês, durante todo o pré natal estava tudo ótimo comigo e com o meu bebê, até que um dia acordei sentindo dores no estômago, ao chegar na maternidade meu filho já estava sem os batimentos cardíacos. :(( Fiquei internada alguns dias e hj estou fazendo diversos exames para investigar a causa, e tudo tem dado normal.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.