Doula: quem é e qual o seu papel? Entenda

7 de fevereiro de 2020

A Doula é uma profissional contratada para estar presente na cena do pré-parto, do parto e no pós-parto, seja ele natural, normal ou cesárea. Ela orienta e dá suporte físico e emocional para a gestante, auxiliando no processo de satisfação em relação aos momentos que envolvem a gestação e o nascimento do bebê e da nova mamãe. Para entender mais sobre esse trabalho lindo, conversamos com a Doula Karine Alves, mãe da Helena e do Raul. Ela também é terapeuta integrativa, presidente da Associação Potiguar de Doulas (RN), e falou sobre a atuação dessas profissionais, o que elas podem e não podem fazer, como funciona a legislação, as dificuldades encontradas e alguns mitos sobre esse trabalho. Confira!

 

MQA: O que é Doula? Qual o seu papel?

KARINE ALVES: Doula é uma pessoa, geralmente mulher, que está presente na cena do pré-parto, parto e pós-parto imediato, dando suporte físico e emocional para a gestante, seja ele natural, normal ou cesárea.

 

MQA: Como é a atuação da Doula no pré-natal, parto e pós-parto?

KARINE ALVES: No pré-parto, a Doula faz um trabalho informativo, ela traz conhecimento sobre as boas práticas na assistência. No parto, ela ajuda a mulher a passar por todo o processo da forma mais natural e minimamente invasiva. No pós-parto, a Doula dá suporte com a amamentação, noites mal dormidas e cuidado com o recém-nascido, além de também ser capaz de dar suporte às dificuldade do puerpério.

 

MQA: O que a Doula pode e não pode fazer?

KARINE ALVES: Doula não faz aquilo que diz respeito à parte técnica do parto, mas ela pode segurar a mão da gestante e tranquilizar suas dores físicas e emocionais, utilizando métodos não farmacológicos, como massagem, aromaterapia, toque, olho no olho.

 

MQA: Como é a relação com as maternidades e os profissionais da área médica?

KARINE ALVES: Essa relação vai depender muito da localidade. Algumas ainda são muito resistentes, como observamos no estado do Rio Grande do Norte,  acredito que pela falta de informação e pelos mitos que cercam a figura da Doula.

 

MQA: O trabalho da Doula é reconhecido? Existem leis que regulamentam?

KARINE ALVES: Doula está na categoria de ofício, é um ofício cadastrado desde 2013 no CBO (Cadastro Brasileiro de Ofícios – n° 32.2135). Existem leis municipais e estaduais em algumas cidades que asseguram a presença das doulas nas maternidades. Em Natal-RN, temos a lei 542/2018 municipal e a lei 10611/2019 lei estadual.

Ainda não existe um órgão fiscalizador, porém, muitas cidades já têm associações e essas fazem o papel de resguardar as doulas associadas, passando confiabilidade na formação e na sua conduta. Há uma Federação Nacional, a FENADOULAS, que está em seu segundo ano, coordenando e dando suporte às associações de todo o Brasil.

 

MQA: Como escolher uma Doula?

KARINE ALVES: O ideal é buscar grupos de apoio à gestante, associações da sua cidade/estado e solicitar a lista das que já estão cadastradas. Outra ferramenta importante são as mídias sociais, pelas quais é possível acompanhar o trabalho das Doulas. É essencial sempre procurar saber quantos atendimentos ela já fez, qual a experiência profissional e como e onde foi a formação dela. E mais: a gestante precisa saber quais técnicas para alívio da dor a Doula domina, essa é a principal função da Doula. É muito importante que gestante e Doula estejam alinhadas e entrosadas.

 

MQA: E por que escolher uma Doula?

KARINE ALVES: Com todo movimento em torno do consumo, hoje em dia não damos tanta importância para as nossas emoções quando, na verdade, essa deveria ser a nossa busca inicial. Estar bem emocionalmente e preparar para aceitar as adversidades é fundamental para a satisfação em relação ao trabalho de parto, parto e puerpério.

Quando escolho uma Doula, estou me dando a chance de ficar satisfeita com o parto que tiver e acolher melhor as escolhas diante das possibilidades que surgem.

 

MQA: Quais são os maiores desafios do trabalho como Doula?

KARINE ALVES: Conseguir dar uma boa assistência às gestantes dentro da maternidade, sem encontrar resistência.

 

MQA: O que te motiva a ser Doula?

KARINE ALVES: O amor por ver a vida se fazer na minha frente. É a chance que eu tenho de praticar a gratidão e a aceitação.

 

Sobre a entrevistada:

Karine Alves é Doula, terapeuta integrativa, presidente da Associação Potiguar de Doulas (RN) e mãe da Helena e do Raul. Instagram: @ser_sentindo e @karinealves

Tags

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.