8 Mitos sobre Pré-Eclâmpsia

16 de março de 2016

Você já deve ter visto nossa matéria sobre Pré-Eclâmpsia. Dada a importância do tema, voltamos a ele pra falar sobre os mitos, os enganos envoltos dessa doença que, em alguns casos, pode ser fatal. Fizemos uma pequena lista com 10 mitos sobre essa condição para que não caia em desenganos.

O repouso na cama pode atrasar o início da pré-eclâmpsia.

Não há provas disso. Inclusive, em gestantes com essa condição, repouso em excesso pode causar coágulos no sangue. Quem vai dizer o quanto e como você deve repousar e se exercitar é o seu médico somente.

Somente mulheres com excesso de peso sofrem com isso.

Também não. Apesar de obesidade ser um fator de risco, qualquer mulher, independente do peso, está sujeita a adquiri-la.

A pré-eclâmpsia ocorre apenas na primeira gravidez.

Todas as gestações correm riscos.

Se você comer bem, você não vai ter pré-eclâmpsia.

Errado. Embora uma boa alimentação otimize sua saúde, ela não é uma garantia absoluta de que você vai ser ver livre da condição.

Pré-eclâmpsia ocorre apenas imediatamente antes do fim da gravidez.

A pré-eclâmpsia pode ocorrer a qualquer momento a partir do segundo trimestre da gravidez até seis semanas após o parto, o que derruba completamente esse quinto mito.

As mulheres grávidas não devem ser informadas sobre o risco de pré-eclâmpsia pra não estressá-las.

Isso é uma das coisas mais absurdas! TODAS as pessoas devem ser informadas plenamente sobre suas condições de saúde, especialmente quando se trata da saúde de uma criança também. Com todas as cartas na mesa, as pessoas são mais aptas e realmente livres para decidirem o que fazer.

A pré-eclâmpsia não afeta o bebê.

Nada disso. O crescimento do nenê pode ser afetado. E como foi dito anteriormente, a criança vir a óbito devido a outras complicações.

Parto prematuro é a cura para pré-eclâmpsia.

Bem, parto prematuro começa o processo de cicatrização porque elimina o problema principal: uma placenta defeituosa. Entretanto, não pode ser considerado uma cura. Você pode até mesmo piorar no período pós-parto, porque a placenta tem despejado proteína em seu sistema e seu corpo tem de eliminá-la. É por isso que muita proteína na urina é indício de pré-eclâmpsia. Convulsões podem ocorrer nesse período. Isso exemplifica a importância do acompanhamento pós-parto.

De longe, informação é um grande remédio para manter-se saudável. Continue por aqui se quiser saber mais informações sobre saúde gestacional e neonatal 😀

Acompanhe a #Mama também no Facebook e no Instagram!

3 comentários
  • Monalisa Gomes da Silva Oliveira

    Tive pré eclapsia com 8 meses de gestação,os médicos não me informaram achei bem melhor eles não terem me dito,so em saber que meu bebê ia nascer pré maturo fiquei nervosa,acredito que pelo fato de não saber ajudou bastante,meu filho nasceu lindo e saudável,deu tudo certo para glória de Deus estamos VIVOS!!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.