Vacina BCG tem efeito mesmo sem formar a marquinha no braço

18 de março de 2019

A vacina contra tuberculose, conhecida como BCG, que geralmente deixa uma cicatriz no braço da criança, tem efeito mesmo sem formar essa marquinha, sabia? A reaplicação, que antes era indicada nas unidades de saúde caso a criança não tivesse a reação no braço, deixou de ser recomendada recentemente pelo Ministério da Saúde após estudos de comprovação da eficácia da BCG mesmo nos casos que não ficam a cicatriz. A nova recomendação do Ministério da Saúde foi divulgada no mês passado e está alinhada com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Comitê Técnico Assessor de Imunizações (CTAI).

Segundo a coordenadora do Programa Nacional de imunizações, Carla Domingues, essa medida vai facilitar ainda mais o calendário de vacinação das crianças que conta, atualmente, com 14 vacinas, diminuindo uma dose que não traria benefícios adicionais para ela.

A vacina BCG é ofertada gratuitamente no SUS e trata-se da principal maneira de prevenir a tuberculose em crianças. Ela é indicada logo após o nascimento, ainda nas maternidades, ou na primeira visita da criança no serviço de saúde, ou seja, o mais precocemente possível. Essa vacina também está disponível na rotina dos serviços para crianças menores de cinco anos de idade.

Apenas uma dose é necessária para proteger das formas mais graves da doença, mesmo na ausência da cicatriz, que aparece na maioria dos casos como reação característica e esperada e tem até 1cm de diâmetro. A resposta à vacina demora cerca de três meses (12 semanas), podendo se prolongar por até seis meses (24 semanas), e começa com uma mancha vermelha elevada no local da aplicação, evolui para pequena úlcera, que produz secreção até que vai cicatrizando.

É importante não colocar produtos, medicamentos ou curativos, pois trata-se de uma resposta esperada e normal à vacina.

E, reforçando a recomendação atual: se essa reação não acontecer, não há motivo para preocupação, pois a criança estará protegida contra a doença. 😉

*Com informações do portal do Ministério da Saúde.

Tags

Tags:, ,

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.