Vacina BCG

9 de maio de 2016

Composta pelo bacilo de Calmette & Guérin, obtido pela atenuação do Mycobacterium Bovis, umas das bactérias que transmitem a tuberculose, a Vacina BCG é obrigatória.

Recomendada para se tomar o mais cedo possível e imuniza contra a própria tuberculose. Embora ossos e rins possam ser afetados, o alvo principal normalmente são os pulmões. Tosse secas e fortes, emagrecimento, fraqueza e falta de apetite acometem o enfermo, causando imensa dor.

Transmissão e sintomas

Essa doença é transmitida através de contato direto com a saliva de um infectado. Esse contato pode acontecer quando o infectado tosse, espirra ou fala. Com cerca de 6 meses, o tratamento é longo.

Importantíssimo, porém, que se vá até o fim. Caso o tuberculoso interrompa a medicação antes da hora, as bactérias no organismo que ainda não morreram adquirem resistência e ficam imunes aos antibióticos. Assim, uma doença com boas chances de cura torna-se incurável.

Caso seu filho não consiga tomar a vacina BCG  assim que nasceu, é importante ele receber a dose depois do primeiro mês. Quanto mais pessoas serem imunizadas, mais fácil de impedir a proliferação da bactéria, caminho para a erradicação da doença.

Ela só é contraindicada aos soropositivos HIV sintomáticos, aos hipersensíveis de algum componente da vacina e recém-nascidos com menos de 2 quilos. Nesse último caso, recomenda-se a criança atingir o peso mínimo primeiro. Lembrando que é uma vacina disponível na rede pública.

Interessante, né? E muito importante também. Aliás, segurança nunca é demais quando se trata de nossos queridos. Sem falar que você contribui com a saúde de toda comunidade ao imuniza-los. Fique ligada na Mama para mais informações. Temos sempre alguma coisa para acrescentar à saúde do seu filho.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.