Covid-19: Crianças devem usar máscara?

18 de maio de 2020

Os órgãos oficiais de saúde continuam recomendando que as pessoas só saiam de casa quando extremamente necessário e, quando esse for o caso, a recomendação a todos é para o uso de máscara, já que a cobertura impede a transmissão do coronavírus por pessoas contaminadas assintomáticas – que não sabem que estão com a doença. A exceção são as crianças menores de 2 anos de idade: mas por que elas não devem usar máscara?

A explicação é simples: especialistas alertam que crianças nessa faixa etária não têm autonomia e controle plenos dos seus movimentos, podem ter dificuldade para respirar com a máscara e correm risco de sufocamento. Além disso, nessa faixa etária, é comum a criança levar a mão no rosto e ela pode ficar impaciente, incomodada, mexendo na máscara querendo retirar, o que não é eficiente para a proteção e até aumenta também o risco de contaminação. Outro problema é o tamanho das máscaras, que geralmente são grandes e não se ajustam corretamente, perdendo assim sua eficiência.

Esse, inclusive, é um ponto importante a ser observado no caso do uso da proteção nas crianças maiores de 2 anos. É preciso que a máscara esteja no tamanho correto para que seja segura e eficiente. 

 

O uso da máscara exige certos cuidados, atenção!

 

As máscaras infantis também podem ser fabricadas em casa, com tecido, de preferência algodão, pois irrita menos a pele. Elas precisam ter pelo menos duas camadas de pano e ter o tamanho adequado à face da criança, cobrindo confortavelmente toda a lateral do rosto, mas permitindo a respiração sem dificuldade. O ideal é que sejam presas por elásticos atrás da orelha. 

Diversos tutoriais online ensinam a produção, mesmo sem máquina de costura. O Ministério da Saúde divulgou um manual, acesse aqui. A ANVISA também divulgou orientações gerais sobre o uso não profissional de máscaras, confira aqui

É preciso atentar também ao fato de que a criança tende a tocar na máscara com as mãos, depois podem mexer no nariz ou olhos, por isso é importante explicar para ela sobre o uso correto e a supervisão precisa ser constante. Deve-se observar também se a criança está salivando ou com o nariz escorrendo, pois máscaras molhadas são consideradas sujas e precisam ser trocadas.

Lembrando que as máscaras são individuais, devem ser trocadas a cada duas horas e lavadas corretamente sempre após o uso.

 

Higienização

A higiene é um ponto fundamental do uso de máscaras. É preciso lavar as mãos com água e sabão por 20 segundos ou passar álcool em gel antes e depois de tocar na máscara, e sempre retirar pelos elásticos. Se for preciso encostar no tecido, coloque o dedo (desde que limpo) na parte interna da máscara, onde o risco de contaminação é menor, e nunca na frente da máscara. 

Para quem vai ficar mais do que duas horas na rua, o certo é levar máscaras extras, embaladas individualmente em saquinhos de plástico. Tire a máscara usada, dobre no meio com a parte de fora para dentro, e guarde na sacolinha. 

A higienização pode ser feita com água e sabão na máquina de lavar, ou deixando de molho em água sanitária por 30 minutos. 

 

Importante:

Vale lembrar que o ideal mesmo é que as crianças fiquem em casa, protegidas dos riscos externos de contato com o vírus. Sair mesmo, só se for imprescindível e redobrando os cuidados!

E para as menores de dois anos, sem a proteção, além das medidas de distanciamento e higiene, é possível também, por exemplo, usar um tecido para cobrir o carrinho ou bebê conforto e minimizar o contato no momento de algum deslocamento breve. 

As máscaras não são recomendadas para pessoas com dificuldade e problemas respiratórios ou que estejam dormindo. Em caso de dúvidas sobre a recomendação para casos específicos, consulte o seu médico ou pediatra da criança para seguir as orientações mais indicadas.  

*Com informações do Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Pediatria

 

Tags

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.