Atividade física na infância: recomendações e benefícios

11 de outubro de 2019

Apesar de já estarem mais do que provados os diversos benefícios da atividade física para o corpo e a mente das pessoas, o assunto ainda é motivo de dúvidas e questionamentos quando é voltado às crianças. Mas falar em atividade física na infância é basicamente falar em movimento do corpo, que é essencial para o desenvolvimento infantil em vários aspectos: emocional, corporal, intelectual. Ou seja, a atividade física pode ser uma brincadeira ativa saudável na qual a criança se movimenta se divertindo.

O movimento tem que ser o centro da vida das crianças, permeando todas as facetas do desenvolvimento delas, seja no domínio do comportamento motor, cognitivo ou afetivo. Negar as crianças à oportunidade de colher benefícios da atividade física regular é negar a elas a oportunidade de experimentar a alegria do movimento eficiente, os benefícios da saúde de um estilo de vida ativo, e uma vida motoramente hábil”. (David L. Gallahue, Frances Cleland Donnely, 2008).

De acordo com a personal Kids Coaching Carol Freitas, idealizadora do projeto Kids Training, saltar, correr, chutar, empurrar e agarrar são os movimentos básicos para a realização de atividades físicas para as crianças. E esta deve ser incentivada desde da primeira infância (0 a 6 anos de idade), pois proporciona inúmeros benefícios:

• Crescimento e desenvolvimento saudável;
• Melhora a autoestima;
• Ossos, músculos e articulações mais fortes;
• Um coração mais forte;
• A faixa de peso saudável;
• Aprender novas habilidades enquanto se diverte;
• Melhor foco e concentração durante as aulas.

“O incentivo à criança para a prática de atividades físicas é muito importante para proporcionar um futuro melhor a ela em todos os aspectos”, comenta Carol. Além disso, ela destaca a necessidade de socialização e conexão com a realidade. “Atualmente, observamos como constantemente as crianças estão dependentes das novas tecnologias e cada vez menos desfrutam de companhias de outras pessoas. Por isso, temos que conectá-las com a vida real, através de jogos, modalidades esportivas coletivas também de forma divertida, prazerosa e como uma brincadeira”, diz a especialista.

O que se recomenda?

 

A personal explica que os bebês devem ser estimulados a se movimentar várias vezes ao dia, seja buscando objetos, engatinhando e até os 2 anos sem contato com tablet, celulares, produtos eletrônicos. A partir dos 3 aos 5 anos, o Manual da Sociedade Brasileira Pediatria (2017) , cita que as crianças podem se exercitar 180 minutos ao longo dia (andar de bicicleta, pular corda, jogar bola). E a partir dessa faixa etária, as crianças também podem começar a nadar, fazer dança, praticar lutas ou esportes coletivos de maneira gradativa.
Entre 5 e 7 anos, ela já vai ter habilidades e pode colocar nas escolinhas de natação, judô, o que achar mais interessante e que seja prazerosa a ela.

Entre 6 e 19 anos de idade, crianças e adolescentes podem se exercitar por pelo menos uma hora por dia com atividades mais intensas, como correr, nadar, pedalar, saltar ou com brincadeiras que trabalhem com o peso corporal e acelerem mais a respiração e o batimento cardíaco. Atividades que estimulem a flexibilidade e o desenvolvimento de músculos e ossos, como a musculação, podem ser feitas pelo menos três vezes na semana com acompanhamento profissional.

Importante:

 

A orientação e o acompanhamento profissional são indispensáveis para não colocar em risco a saúde das crianças. Converse com o pediatra e o educador físico sempre! As informações que trazemos aqui não substituem de forma alguma esse trabalho profissional! 😉

Tags

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.