Amamentação: um processo natural que precisa de informação

12 de junho de 2018

A amamentação é um processo natural que proporciona nutrição completa à criança.

O leite materno é recomendado pelo Ministério da Saúde, pela OMS e pela Unicef como o único alimento a ser ingerido pelo bebê até os seis meses de idade.

Quando se fala no assunto, automaticamente se associa os evidentes e inquestionáveis benefícios ao desenvolvimento do bebê que a amamentação proporciona. É preciso pensar também que o desejo de amamentar nem sempre basta para que tudo transcorra bem.

A amamentação precisa ser confortável

Além de possível, a amamentação precisa ser confortável para as duas partes envolvidas. E o que falta, muitas vezes, para isso acontecer, é informação e orientação.

Pensando nisso, para esclarecer algumas dúvidas sobre esse processo, Mama conversou com a Enfermeira Consultora em Amamentação, Marcelly Cossi. Segundo ela, a amamentação é natural, mas precisa ser aprendida corretamente.  As mulheres que desejarem amamentar precisam ser orientadas e cercadas de informações corretas a fim de evitar futuros problemas relacionados a esse processo.

Nesse contexto, muitas mães têm recorrido aos consultores em amamentação. Esse profissional pode ajudar as mulheres a se prepararem para o momento do aleitamento materno.

Confira a entrevista completa:

MAMA: Como você define a amamentação?

Marcelly Cossi: A amamentação é a forma natural de nutrição da criança. Ela traz uma série de benefícios tanto para a mãe quanto para o bebê. Proporciona importante vínculo entre a mulher e seu filho que é essencial nesse processo de conhecimento e adaptação à nova vida. Apesar de ser um processo natural, a amamentação precisa ser orientada para as mulheres para que seja aprendida corretamente.

MAMA: Quais são as principais dúvidas que surgem sobre esse momento?

Marcelly Cossi: Muitas mulheres, preocupadas em oferecer o melhor para seu filho, têm diversas dúvidas relacionadas a essa prática. Algumas delas são: Meu leite é suficiente para o bebê?  Meu leite é fraco? Quanto tempo deve durar cada mamada? Qual o intervalo entre as mamadas? Devo dar água ao meu bebê? Meu bebê está ganhando peso suficiente?

MAMA: Quais são os principais problemas enfrentados durante a amamentação (o que pode acontecer nesse processo que interfira no objetivo final, tanto com a mãe como com o bebê)?

Marcelly Cossi: Diversos problemas podem surgir durante o processo de amamentação. Entre os problemas que podem afetar a mulher estão o ingurgitamento mamário (chamado popularmente de “leite empedrado”), traumas mamilares, candidíase mamária e mastite, condições que, muitas vezes, deixam as mulheres angustiadas devido ao desconforto que causam e colaboram para o desmame precoce.

Vale ressaltar que a adaptação inicial à chegada do bebê associada à delicadeza requerida no início do puerpério são condições que requerem uma rede de apoio com pessoas de confiança da família. Além disso,  acima de qualquer coisa, amamentar deve ser um ato de escolha da mulher. É importante que a família, principalmente o casal, esteja feliz e satisfeito com a decisão.

MAMA: Quando e como procurar ajuda?

Marcelly Cossi: A família pode solicitar ajuda sempre que achar necessário. Durante a gestação para obter as orientações necessárias sobre o processo de amamentação antes do bebê nascer e após o nascimento do bebê.

MAMA: Como atua o consultor em amamentação? Qual a prioridade no atendimento?

Marcelly Cossi: O consultor em amamentação atua na avaliação da amamentação, e isso envolve uma avaliação isolada da mulher, do bebê, assim como da díade durante a mamada. Através dessa avaliação o consultor identificará como a prática está sendo realizada para que possa intervir de maneira adequada. Baseados em evidências científicas, pode dar orientações, esclarecimento de dúvidas e manejo clínico.

Os objetivos são promover o aleitamento materno, prevenir as dificuldades em amamentação, incentivar e encorajar as mães, ouvir a mulher principalmente, esclarecer dúvidas, resolver as dificuldades e intercorrências relacionadas ao aleitamento materno e, acima de qualquer coisa, apoiar a decisão da mulher.

MAMA: Como é a relação do consultor com a mãe que está sendo acompanhada?

Marcelly Cossi: Diante das inseguranças que cercam a mulher nesse momento de sua vida, nós buscamos estabelecer uma relação de confiança para que ela tenha certeza que será prontamente atendida e cuidada junto com seu bebê. Se nossa abordagem de cuidado é bem feita e verdadeiramente preocupada em cuidar e dar resultados para a família, o vínculo acontece de forma natural e o trabalho se torna ainda mais prazeroso. É apaixonante ser uma consultora em amamentação!

Leites artificiais

MAMA: Qual a sua opinião sobre os leites artificiais e a complementação do leite materno com essas fórmulas?

Marcelly Cossi: Hoje existem fórmulas seguras no mercado, que não trazem riscos ao bebê, pelo contrário, ajudam aqueles que necessitam. Entretanto, elas têm que ser utilizadas com cautela, com uma indicação precisa, em que se contraindique que o bebê consuma o leite materno.

Quando o bebê é galactosêmico, por exemplo, a ingestão do leite materno pode provocar sintomas como ânsia, vômito, irritabilidade, convulsão, amarelamento dos olhos e da pele, pouco ganho de peso, entre outros. Às vezes, o bebê pode até não querer mamar. Nesses casos, não há nada de errado nem com as mamães, nem com o leite.

A galactosemia pode ser identificada pelo Teste do Pezinho Ampliado. Caso tenha sido feito o Teste Simples e o bebê tenha reações ao leite materno, é necessário levá-lo ao pediatra para o diagnóstico precoce e início do tratamento o quanto antes. Por isso, é importante ficar sempre atenta às reações do bebê.

MAMA: Além da consultoria oferecida por profissionais certificados, existem outras opções acessíveis para quem não pode investir no acompanhamento personalizado?

Marcelly Cossi: Os bancos de leite humano (BLH) ou postos de coleta de leite humano contam com profissionais capacitados para receber as demandas apresentadas pelas mulheres e buscar solucioná-las ou dar os encaminhamentos necessários.

MAMA: Dito tudo isso, o que você destacaria como mais importante, que deve prevalecer em todo esse processo de amamentação?

Marcelly Cossi: Como já destaquei algumas vezes, no processo de amamentação os principais envolvidos são a mãe e o bebê. A mulher, enquanto principal responsável por ofertar ao seu filho o leite materno deve ser ouvida e sua decisão deve ser respeitada. Imposições não são bem-vindas na família, mas as sugestões serão sempre dadas e a importância do aleitamento materno será sempre destacada para que a família faça a escolha do que a faz verdadeiramente feliz.

Sobre a entrevistada, Marcelly Cossi:

Enfermeira pela UFRN, Mestre em Enfermagem pela UFRN, Doutoranda em Enfermagem pela UFRN, Consultora em Amamentação certificada pela Mame Bem, Professora efetivada do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Cursando Especialização em Enfermagem Obstétrica.

Tags

Tags:

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.