Primeiros passos e alinhamento do corpo: entenda como esse momento interfere na saúde da criança

8 de dezembro de 2020

Os primeiros passos são um dos grandes desafios que nossos bebês enfrentam no começo da vida. Há 20 anos, era comum vermos muitas crianças aprendendo a andar descalças, na areia da praia ou no gramado de um parque, mas, principalmente nas grandes cidades, este cenário já não é tão comum, seja pelo medo por causa da falta de segurança ou até mesmo, agora, por conta da pandemia de Covid-19. 

Os nossos pés são as nossas raízes e ao deixarmos as crianças caminharem somente no chão duro e plano dos apartamentos e casas, permitimos que os pés dos nossos pequenos não sejam desenvolvidos como deveriam. Esse hábito, somado a um sapato que não acompanha a forma natural do pezinho do bebê muda todo o alinhamento do corpo por não ativar corretamente a musculatura e/ou impedir o desenvolvimento natural dos ossos, podendo trazer futuros problemas, como pisada torta, pé plano, desgastes no joelho e até problemas na coluna.

Diante disso, a fundadora e CEO da Anamê Baby Design, designer pesquisadora PhD, Doutora Ana Paula Lage, conta que descobriu uma alternativa para ajudar o alinhamento do corpo dos bebês quando foi informada pelo irmão que seria tia. “Fiquei tão feliz que quis retribuir para o bebê algo único”, diz.

De acordo com Ana Paula, na época, ela estava realizando uma pesquisa no mestrado desenvolvendo biopolímeros para a indústria calçadista e, dentro desse universo, começou a estudar a anatomia dos pezinhos de bebês, como seu desenvolvimento, músculos, estímulos e melhores calçados, mas não havia muitos estudos sobre essa região do corpo. “Iniciei desenvolvendo uma pesquisa minuciosa para que eu pudesse entender a anatomia humana e criar um sapatinho que fosse o melhor para a saúde das crianças”, explica.

 

A pesquisa

 

Com a pesquisa, a designer aprendeu que a maioria das crianças (cerca de 70%) chegam aos 7 anos com algum problema nos pés por um mau desenvolvimento na infância e por falta de estímulos adequados. Além disso, entendeu também, que o mais saudável para a formação de um pezinho forte, capaz de dar suporte para pernas, quadris e colunas, seria andar descalço em terreno irregular como areia, terra e grama. “Mas como levar este solo irregular às crianças urbanas?”, questionou.

Ana Paula explica que pesquisou por materiais que simulassem o dinamismo da areia da praia quando caminhamos, por exemplo. Foram realizados testes com esse material no sapatinho no Laboratório de Polímeros e Compósitos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com a Escola de Design da UEMG para verificar a semelhança com o terreno natural e também adicionar conforto ao bebê.

“Depois de comprovado, passamos para as etapas de pesquisa antropométrica (medidas dos pezinhos) e análises de marcha para entender os efeitos do sapatinho criado e solucionar os problemas de desenvolvimento inadequado”, diz Ana Paula.

Ainda segundo ela, o sapatinho que foi criado, batizado de Noeh Baby, é o único calçado para bebês testado no Brasil e o único que há análises de possíveis alterações do movimento da criança como um todo, desde a movimentação do quadril, ao joelho, ao tornozelo e variação do centro de massa.

 

Quem pode usar o Noeh?

 

Ana Paula explica que o sapatinho foi desenvolvido em um primeiro momento para bebês urbanos e caso a criança tenha acesso ao solo natural, não há a necessidade de utilizá-lo. Entretanto, a designer também conta que o produto pode ser utilizado por crianças com pé torto congênito, epidermólise bolhosa e síndrome de down e que tem desenvolvido parcerias e pesquisas para entender o uso do produto em casos específicos como esses. 

“Iniciamos, em parceria com o CrisDown, a APAE BH e a SOSEB Kids, pesquisas para entender, cientificamente, os efeitos do Noeh no desenvolvimento de crianças com deficiência, mas o sapatinho também pode auxiliá-los no desenvolvimento muscular”, explica Ana. “Partimos do princípio de que se mudarmos o começo da história, podemos mudar a história toda, então, seguimos preocupados em criar efeitos futuros, um passo de cada vez, pelo bem-estar de todos”, conclui. 

Para conhecer mais sobre esse projeto, acesse: www.noeh.com.br e www.aname.com.br . 😉

 

Tags

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.